Hotel Esfinge

Matheus Chiaratti

 

Para a terceira intervenção no arte_passagem, o artista Matheus Chiaratti se vale da pesquisa de obras do Surrealismo e suas reverberações na produção poético-literária brasileira de Roberto Piva e Claudio Willer, em uma proposição de percurso no centro de São Paulo que une literatura, acaso e cidade.

 

Na vitrine do arte_passagem, um painel de led dispara versos que se baseiam em verbetes de uma propaganda comum de hotel, porém sem orientações e dados claros. Ao final, a mensagem convida o espectador a seguir até o encontro das esquinas 7 de abril, rua Marconi e Bráulio Gomes, onde um grande relevo da figura apocalíptica do leão de São Marcos o espera. Ali, bem na encruzilhada, um volante distribuído dita novos rumos do percurso, incitando-o a seguir até à estátua de Dante Alighieri à ponta da praça Dom José Gaspar.

 

Há também na vitrine uma pintura que compõe com o led. O desenho a carvão constrói uma imagem enigmática, transcrita pelo artista a partir do encontro casual com esse mesmo desenho em uma placa de madeira encontrada nos arredores. Tal desenho é então replicado tanto na pintura quanto em painéis de diversos tamanhos e cores que são dispostos e repostos semanalmente em pontos próximos à vitrine.

 

Coincidentemente, esse desenho também se assemelha muito aos desenhos surrealistas da personagem Nadja, da obra homônima de André Breton – o romance que narra as passagens dos dois em uma errância pela Paris do começo do século XX através de coincidências e antevisões em percursos labirínticos pontuados pelo amor, pelo esoterismo e pela “BELEZA convulsiva” cunhou o termo Acaso Objetivo, associado aos surrealistas e utilizado por Piva e Willer como mote para a relação da cidade à criação poética.

 

Traçar um trajeto ainda que curto e restrito a uma só quadra é fazer notar elementos escondidos e até então invisíveis a um transeunte desatento, criando uma via cuja a atenção e disponibilidade recobrem ao espectador a estranha descoberta de potentes elementos que só a cidade lhe pode oferecer.

 

Para a abertura da intervenção, o poeta, expoente da geração marginal de 1960, Claudio Willer (São Paulo, 1940), fará uma aula gratuita sobre o Acaso Objetivo na Livraria Tapera Taperá; vale também citar que o desdobramento da pesquisa Hotel Esfinge é a petição pública junto ao Departamento do Patrimônio Histórico (DPH), da Prefeitura de São Paulo, para a instalação de uma placa comemorativa a Breton e Roberto Piva na Avenida Rio Branco, em homenagem ao acaso vivenciado em 27 de setembro de 1966 (mesmo dia da abertura de Hotel Esfinge), recontado em entrevistas e no documentário Uma Outra Cidade, 2000, de Ugo Giorgetti, disponível no Youtube.

 

 

SERVIÇO

Hotel Esfinge

Matheus Chiaratti

27 de Setembro – 18 de Outubro

 

Segunda a sexta – 07h30 às 18h30

Sábados – 07h30 às 13h